Lobal Fm "Aqui a música não para"

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Veja a lista de cosméticos, produtos odontológicos e para limpeza, sem registro vetados pela Anvisa

Está suspensa pela Anvisa a fabricação, distribuição e comércio de todos os produtos sujeitos à vigilância sanitária produzidos pela empresa W. Barbosa Ltda (W.A Produtos Odontológicos) de Bragança Paulista (SP), Brotinho Ervas Ltda. (Ipatinga/MG), cosméticos Novo Jbby Esmalte Longa Duração, secagem rápida; Laranja e Realce Perolado secagem rápida, e Maria (Puella Indústria e Comércio de Cosméticos Ltda/SP)condicionador infantil perfumado, para todos os tipos de cabelos, Fórmula R, da empresa Paizant?s Comércio e Indústria de Cosméticos Ltda.(Coronel Fabriciano/MG), defrizante Ultra Hidratante Escola de Chocolate Karamax Skafe, Defrizante Ultra Hidratante Escova de Chocolate Keramax, Máscara Ultra Hidratante Escola de Chocolate Keramax Skafe e Máscara Ultra Hidratante Escova de Chocolate Keramax, fabricados pela Ivel Indústria de Perfumes e Cosméticos Ltda.(Nova Iguaçu/MG). Também o detergente OST, 500ml, lote 12, fabricado em 13/11/2006 e com validade até 13 de novembro de 2008, da Brasquímica Produtos Químicos Ltda.(Belo Horizonte), bem como a importação, distribuição, comércio e uso dos produtos Ultrashape, Bellacontour e Ultracontour, utilizados para fins estéticos. Da mesma forma o fabrico, distribuição, comércio e uso da Água Sanitária Pegue Leve e Detergente Pegue e Leve, fabricados, engarrafados e comercializados por Antônio Pereira Felix Desinfetantes ME (Fortaleza/CE).

Cidadania Anvisa retira do mercado diversos remédios vendidos sem registro, dentre eles, o Zylium

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), suspendeu a fabricação, distribuição, comércio e uso dos medicamentos Estomalino (caixa com 60 cápsulas) e Ginko Biloba (pote com 50 cápsulas), pomada de arnica (pote com 30 gramas) e dos produtos Copo da Saúde, Hipertensivo (caixa com 60 cápsulas) e Hemorróidino (caixa com 60 cápsulas), todos fabricados e comercializados pela Floriam Laboratório Farmacêutico Ltda., com sede em Ipanema/MG. Também estão suspensos a fabricação, distribuição, comércio e uso do medicamento Zylium (cloridrato de ranitidina), 150 miligramas, comprimido, lote 9150, fabricado em março de 2006 e com validade até março de 2008, da Farmasa Laboratório Americano de Farmacoterapia S/A, de São Paulo. O produto apresentou resultado insatisfatório para o ensaio de dissolução, não atendendo às exigências regulamentares da Anvisa. Interdição cautelar Com interdição cautelar, o medicamento Cardiodopa (Metildopa), 500 miligramas, lote 06.10.1177, com data de fabricação de outubro de 2006 e validade até outubro de 2011, fabricado pela Royton Química Farmacêutica Ltda., com sede em São Paulo. A interdição, pelo prazo de 90 dias, determinada pela Anvisa deveu-se ao resultado insatisfatório apresentado no ensaio de dissolução de Metildopa no laudo de análise fiscal.

Embalagem de lote do paracetamol 500 mg,do Laboratório Teuto Brasileiro, tinha um parafuso no lugar do comprimido

Parafuso no lugar do comprimido…

O Procon denunciou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que determinou a suspensão do lote 1998101 (validade 11/2015) do medicamento paracetamol 500 miligramas (mg) comprimido, produzido pelo Laboratório Teuto Brasileiro, após denúncia feita ao Procon por um consumidor que identificou em uma das cartelas do medicamento, um parafuso no lugar do comprimido, sendo recolhido nos estados de Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e na Bahia, onde foi distribuído.
O lote 1048105 (validade 6/2015) do medicamento cetoconazol 200 mg comprimido, também produzido pelo Laboratório Teuto Brasileiro, foi suspenso após queixa de um consumidor ao SAC da empresa, que, ao abrir a embalagem, constatou a presença de outro produto – o medicamento Atenolol 100 mg. O fabricante também iniciou o recolhimento voluntário do lote, que foi distribuído em Goiás, Amazonas, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro e São Paulo.
O lote 8910019 (validade 2/2016) do medicamento nistatina 25.000 unidades internacionais por grama (UI/g) 60 g, também produzido pelo Laboratório Teuto Brasileiro, foi suspenso depois que um usuário relatou que, na cartonagem do medicamento, havia outro produto – neomicina+bacitracina e foi distribuído no Distrito Federal, Espirito Santo,  Goiás, Minas Gerais e São Paulo.
O lote 6909006 (validade 10/2015) do medicamento atorvastatina cálcica comprimido, também produzido pelo Laboratório Teuto Brasileiro, enviado ao Distrito Federal, Pará e Paraná, foi suspenso após denúncia que revelou que, dentro da embalagem do produto de concentração 20 mg, havia o produto de concentração 10 mg.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Suspensão da LOUS e PDDU desempregará mais de 10.000 operários em Salvador

Fim das obras e fim dos empregos

Há mais de 10 meses a capital baiana sofre com a falta de lançamentos imobiliários, fato que tem provocado forte desemprego, tendo em vista que os empreendimentos em fase de conclusão não podem aproveitar a mão de obra em outros canteiros da cidade. Projetos já prontos – muitos deles de alto porte – continuam nas prateleiras das construtoras, aguardando uma segurança jurídica por parte da Prefeitura a fim de lançar novos produtos no mercado. A anulação da Lei de Ocupação e Uso do Solo (LOUS) e do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) decidida pelo Tribunal de Justiça da Bahia não só paralisou o setor de construção civil de Salvador na área privada como também se constituiu em um óbice para travar obras estruturantes e de mobilidade, todas elas importantes para suportar as demandas da Copa do Mundo de 2014. O prazo para se chegar a um acordo envolvendo a Prefeitura de Salvador, entidades de meio ambiente, Ministério Público e a Justiça pode se estender em mais 90 dias, significando praticamente o fim de 2013 e a consequente demissão em massa. Trata-se de um problema não restrito somente à administração municipal, como também do Governo do Estado e do Governo Federal, capaz de provocar a ira da classe média abandonada, com fome e altamente endividada. Uma bomba potente para causar estragos de alta monta nos mais diversos segmentos da população soteropolitana. Abram os olhos enquanto existe tempo para evitar esta catástrofe.

Mineradora Vanádio de Maracás, na Bahia, recebe o mais moderno forno de calcificação do mundo


Peças sendo transportadas para as carretas
O forno de calcinação, equipamento mais importante para o beneficiamento do Vanádio que será instalado na unidade do grupo canadense Largo Resources, mede 90 metros de comprimento e 4,2 de diâmetro interno, e será responsável pelo processamento de 1.060 toneladas de concentrado por dia. O Grupo Omega, que será responsável por organizar o transporte em 5 dias, utilizará 16 carretas para transportar o equipamento da Base Naval de Aratu até Maracás, explica o Diretor-executivo da Vanádio de Maracás, Kurt Menchen, e cada duas carretas com 2 batedores sairão com a distância de 500 m do próximo grupo, tendo cada um com dois batedores. O forno de calcinação tem um revestimento interno de material refratário e é composto por peças produzidas na China, Finlândia, Dinamarca, Alemanha Espanha e Estados Unidos. O Vanádio é um metal utilizado em ligas metálicas de alta resistência (em aço e alumínio). Na maioria das vezes ele é misturado com o ferro ou alumínio, com o objetivo de aumentar a resistência e reduzir o peso. É insumo essencial em instrumentos cirúrgicos, na construção civil, indústrias aeroespacial e aeronáutica, gás e óleo, superestruturas de pontes, túneis, ferrovias, entre outros, propiciando resistência e leveza, sendo sua principal forma de comercialização como liga de ferro-vanádio e como Pentóxido de Vanádio.

Largo

Largo Resources Ltda.

Descrição

Planta de produção de 9.634 ton/ano de pentóxido de Vanádio com área de implantação de 239.700 m², 10.100 m³ de concreto, 23.000 m² de formas, 561.557 ton de armadura, 1.440 ton de estrutura metálica, 235 equipamentos mecânicos (2.600 ton), 158 ton de tubulação, 58 equipamentos elétricos, 253.000 km de cabos de elétrica, 1.814 instrumentos e 35.000 m de cabos de instrumentação. Constitui a primeira planta de pentóxido de vanádio do Brasil.

A Promon foi contratada para executar o projeto básico, projeto de detalhamento, serviços de suprimentos, diligenciamento, inspeção e gerenciamento da obra, e apoio ao comissionamento e operação assistida na implantação da planta
- See more at: http://www.promonengenharia.com.br/pt-br/projetos/Paginas/vanadio-de-maracas.aspx#sthash.qLtbw5Wy.dpuf

Largo

Largo Resources Ltda.

Descrição

Planta de produção de 9.634 ton/ano de pentóxido de Vanádio com área de implantação de 239.700 m², 10.100 m³ de concreto, 23.000 m² de formas, 561.557 ton de armadura, 1.440 ton de estrutura metálica, 235 equipamentos mecânicos (2.600 ton), 158 ton de tubulação, 58 equipamentos elétricos, 253.000 km de cabos de elétrica, 1.814 instrumentos e 35.000 m de cabos de instrumentação. Constitui a primeira planta de pentóxido de vanádio do Brasil.

A Promon foi contratada para executar o projeto básico, projeto de detalhamento, serviços de suprimentos, diligenciamento, inspeção e gerenciamento da obra, e apoio ao comissionamento e operação assistida na implantação da planta.​​
- See more at: http://www.promonengenharia.com.br/pt-br/projetos/Paginas/vanadio-de-maracas.aspx#sthash.qLtbw5Wy.dpuf

Mineradora Vanádio de Maracás gera 600 novas vagas na Bahia ...

A Vanádio de Maracás S/A, primeira mina de vanádio das Américas, gera cerca de 1.500 empregos diretos na região da cidade de Maracás (a 365 km de Salvador), centro-sul do Estado, apenas em seu período de construção, primeira fase do projeto ainda em curso.
Após o início do funcionamento, previsto para novembro deste ano, o empreendimento deve contratar 600 funcionários para ocupar cargos e funções na mineradora.
Com um aporte de R$ 555 milhões em investimentos por parte do grupo canadense Largo Resources, sócio majoritário da nova empresa de mineração, e do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), a Vanádio de Maracás será a mina com maior teor do metal e menor custo de produção em todo o mundo. Segundo a assessoria de comunicação do projeto, do total investido, R$ 5 milhões serão destinados à obras socioambientais voltados para a comunidade local.
O projeto é em parceria com a Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), detentora dos direitos minerais das áreas.
Com a implantação da mineradora, a expectativa inicial de produção anual da Vanádio de Maracás é de 5 mil toneladas de liga derivada do vanádio. Atualmente, segundo a CBPM, o Brasil consome cerca de 1,2 mil toneladas. Sendo assim, a produção excedente deverá ser exportada para a China, Estados Unidos e países da Europa.
Quanto a exploração do mineral trará em riqueza para os governos municipal, estadual e federal, ainda não foi informado. O que se sabe é que 2% do valor arrecadado será destinado a eles, sendo 60% para o município de 40% para o estado e a União.
No próximo dia 21, a grupo Largo Resources vai realizar o lançamento da sua pedra fundamental, cerimônia de colocação do primeiro bloco de pedra acima da construção. O evento acontece às 10 horas, em Maracás, e contará com a presença do governador da Bahia, Jaques Wagner, lideranças federais, estaduais e municipais, representantes da empresa e comunidade local.
O início da implantação do projeto aconteceu em 2007, com trabalhos de sondagens complementares e realização dos estudos de impactos ambientais e de pré-viabilidade, tendo a Licença de Localização (LL) sido obtida em 2010.
O vanádio é um mineral usado em aços (como componente de liga, porque aumenta a resistência e reduz o peso) e, principalmente, na indústria aeroespacial e como catalisador nas indústrias de petróleo e gás (tubulações).
Fonte: A Tarde

MARACÁS (Bahia) TERÁ PRIMEIRA MINERADORA DE VANÁDIO DAS AMÉRICAS

MARACÁS (Bahia) TERÁ PRIMEIRA MINERADORA DE VANÁDIO DAS AMÉRICAS

DECAPE - ferro_vanadioUm investimento de US$ 260 milhões, aproximadamente R$ 500 milhões, que vai gerar 1.200 empregos durante a implantação e outros 400 quando estiver em operação, começa a ser concretizado nesta quinta-feira (21), no município de Maracás, sudoeste da Bahia, na Chapada Diamantina. Às 10h, o governador Jaques Wagner e a direção do grupo canadense Largo Resources Ltda (Largo Mineração) lançam a pedra fundamental da primeira mineradora de vanádio das Américas.
A mina de vanádio fará do Estado da Bahia o maior fornecedor de ferro-vanádio do Brasil e é uma parceira da Largo Mineração com a CBPM, detentora dos direitos minerais da região. A mina fica na Fazenda Patrício, povoado de Porto Alegre.
O Vanádio é um minério essencial na indústria siderúrgica, usado em beneficiamento de aço, na indústria aeroespacial, de petróleo e gás, produção de ferramentas manuais e materiais cirúrgicos. De acordo com a Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), a jazida em Maracás é considerada a melhor do mundo, podendo se tornar produtora estratégica em nível global.