4 de maio de 2017

Reinventando as regras: descubra como perder peso sem fazer dieta

Reprodução/ Pixabay dbreen
Já tentou de tudo e não conseguiu perder peso? Pode ser que, como muitas outras pessoas, você associe a palavra “dieta” com o sofrimento. E há um motivo para isso. A maioria das dietas requer um grande sacrifício em troca da promessa de um benefício que, muitas vezes, parece que só virá num futuro muito distante. Essa é a fórmula para o fracasso.
É hora de esquecer tudo que lhe disseram sobre dietas até o momento. As dietas restritivas são impossíveis de se manter por muito tempo e têm um efeito contrário, assim que são finalizadas. A maioria dos programas de perda de peso requer uma redução na ingestão calórica. Estas dietas também podem ter consequências psicológicas.
Qual é a vantagem de se perder seis quilos em dez dias se você fica o tempo todo cansado, com fome e não consegue manter a perda de peso?
O renomado especialista em endocrinologia de Harvard, David Ludwig, fala sobre essas e outras questões em seu livro Always Hungry?(um best-seller do The New York Times). O médico explica por que as dietas tradicionais não funcionam como deveriam e apresenta uma forma revolucionária de perder peso sem passar fome, garantindo o bem-estar e melhorando a saúde.
Seus estudos inovadores mostram que nós não engordamos por comer demais. Pelo contrário, é o processo de engordar que nos faz comer em excesso. Isso acontece porque as células de gordura desempenham um papel fundamental na determinação de quanto peso nós podemos ganhar ou perder.
Dietas de baixo teor de gordura agem contra nós, fazendo com que as células de gordura se auto abasteçam com mais calorias, deixando muito pouca energia para o resto do corpo. Esta “falta de gordura” ativa uma perigosa reação em cadeia que gera uma constante sensação de fome e a desaceleração do nosso metabolismo, fazendo com que nosso peso aumente ainda que estejamos comendo menos.
Com um programa revolucionário de três fases, que ignora a quantidade de calorias e se centra diretamente sobre as células de gordura, você pode finalmente alcançar seu objetivo de perder peso.
  • Fase 1:Vença seu desejo por determinados alimentos (somente por duas semanas), eliminando amidos e açúcares da sua dieta. Por duas semanas, você deve eliminar todos os produtos com adição de açúcar ou derivados de cereais e batatas. Você ainda pode consumir laticínios integrais, frutas, carboidratos integrais, verduras (sem amido) e legumes.Proporção de nutrientes: gordura (50%) + carboidrato (25%) + proteína (25%)
  • Fase 2:Este é o momento de reprogramar as células adiposas, adicionando quantidades moderadas de grãos integrais, legumes, amido (exceto batata) e pequenas quantidades de adoçante. Você pode adicionar algumas verduras com amido e cereais integrais, minimamente processados. O objetivo é reeducar as células de modo que o peso diminua até estabilizar. Este processo, segundo o médico, pode levar semanas e até meses para aqueles que estavam muito acima do peso quando começaram a dieta.
  • Proporção de nutrientes: (40%), carboidratos (35%) + proteína (25%).
  • Fase 3:É hora de reintroduzir, com responsabilidade, o pão, produtos à base de batata e alguns outros carboidratos processados, dependendo de como você se sente sobre seu corpo. Assim, você criará uma dieta personalizada.
    Na verdade, a fase final deste projeto é muito semelhante à dieta mediterrânea. O endocrinologista diz que ele é, acima de tudo, um momento de experimentar, no qual cada pessoa descobre o que faz bem e o que não faz para o próprio corpo. Por exemplo, você pode descobrir que não se sente muito bem quando ingere uma quantidade muito pequena de carboidratos processados.
  • Proporção de nutrientes: gordura (40 %), carboidratos (40 %) e proteína (20%).
Este método inclui alimentos deliciosos e ricos em gorduras, como nozes, amendoim, leite integral, abacate e chocolate amargo, fontes saborosas de proteína e carboidratos. O resultado? As células de gordura liberam o excesso de calorias, promovendo a perda de peso (e medidas), sem precisarmos lidar com os desejos e a sensação constante de fome.
CONHECENDO AS CÉLULAS ADIPOSAS
As células de gordura só acumulam ou liberam calorias quando recebem instruções externas para tal. A principal agente controladora deste processo é a insulina. O excesso de insulina gera um ganho de peso. O oposto também é verdadeiro.
Então, considerar a obesidade como uma doença nas células de gordura é uma visão radicalmente diferente da que temos hoje: a fome e a alimentação em excesso se tornam consequências de um problema subjacente.
Qualquer coisa que contenha grãos refinados, que seja derivada de batatas ou que leve açúcar, aumenta os níveis de insulina, fazendo com que as células de gordura acumulem calorias. Mas os carboidratos refinados não são o único problema.
Outros aspectos da nossa alimentação, que envolve muitos produtos processados, e alguns fatores de nosso estilo de vida como o estresse, a falta de sono e o sedentarismo, forçam as células de gordura a armazenar calorias freneticamente.
O objetivo do método convencional, que é a dieta restritiva, é obrigar as células de gordura a liberar calorias. Mas, nessa batalha, são elas que têm a vantagem. Para atingir este objetivo, o corpo precisa sofrer muito. Nosso cérebro sabe que precisamos comer menos, mas o metabolismo discorda. Neste cabo de guerra, o cérebro raramente ganha.
A solução é fazer uma trégua com nossas células de gordura, ajudando-as a relaxar e convencendo-as a cooperar com o resto do corpo. A melhor maneira de fazer isso é mudando o que você come, não alterando a quantidade de alimentos que você ingere.
Quando você dá preferência a alimentos que auxiliam o metabolismo, consegue perceber os benefícios imediatamente, antes de perder os primeiros 500 gramas: a fome e o desejo por açúcar diminuem, você fica mais satisfeito após as refeições, sua energia aumenta e seu estado emocional se estabiliza.
Assim nos diz o especialista, que colocou o método em prática e multiplicou sua ingestão de gordura com porções generosas de nozes, frutas secas, laticínios, chocolate amargo e abacate, além de vegetais com azeite.
Ele também aumentou levemente o consumo de proteínas e reduziu os amidos básicos, como massa de pão, cereais, massas e tortas. Veja o que aconteceu:
Após uma semana, senti um grande aumento em meus níveis de energia e vitalidade. Comecei a ter uma intensa sensação de bem-estar que dura o dia todo.
Quatro meses depois, eu havia perdido nove quilos e precisei renovar meu guarda-roupa, pois minhas calças já não serviam mais. Mas o melhor de tudo é que eu não precisei passar fome e nem vontade de consumir carboidratos.
Eu me sentia satisfeito horas após uma refeição. Pela primeira vez na vida, perdi totalmente o interesse no pão, que costumava estar presente em todos os meus cafés da manhã, almoços e jantares.
A dieta Always hungry? é projetada para funcionar de dentro para fora, gerando condições internas para uma perda de peso natural. Siga o plano alimentar, coma quando estiver com fome e pare quando estiver satisfeito. Não coma até se sentir desconfortável. Assim, seu corpo chegará a um peso adequado.
Monica De Haro Yahoo Vida y Estilo

Nenhum comentário:
Write comentários

Visualizações

Minhas Páginas

04

04

02

08

03

07

03

03

04

05

05












08

Tradutor

"Play Aperte Aqui"